No acompanhamento de puericultura, qual a conduta para crianças que mesmo vacinadas, não apresentam a cicatriz vacinal da BCG?

A conduta recomendada é a revacinação após 6 meses da primeira dose, sendo que esta revacinação é indicada apenas para crianças menores que 5 anos, ou seja, crianças de até 4 anos, 11 meses e 29 dias(1,2). É importante ressaltar que esta revacinação só pode ser feita apenas uma única vez, mesmo que as crianças não apresentem cicatriz vacinal novamente, visto que a ausência de cicatriz não significa necessariamente que elas não estão imunizadas.(1,2,3)

É recomendável que a vacina BCG seja administrada nas primeiras 12 horas de vida (preferencialmente na maternidade ou na primeira visita do bebê à unidade de saúde), visto que quanto menor a idade maior sua eficácia. A vacina BCG (bacilo de Calmette e Guerin) é indicada para prevenir as formas graves da tuberculose (miliar e meníngea) nos menores de 5 anos, e sua administração é feita via intradérmica, cujo volume de cada dose corresponde a 0,1 ml, rigorosamente, para evitar complicações. A administração da vacina deve ser adiada quando a criança apresentar peso inferior a 2 kg, devido à escassez do tecido cutâneo (panículo adiposo) ou quando apresentar lesões graves de pele.(1,2)